segunda-feira, 21 de julho de 2008

Uma alternativa para o salame bovino/suíno: o salame de peixe

Mas alguém pode me perguntar: - "E o que isso tem a ver com o meio-ambiente?"...

Tema ver, se formos pensar que isto oferece alternativa para a criação de bovinos e suínos. E para prover uma renda alternativa aos agricultores familiares.

Publicado no Diário Catarinense de 21 de julho de 2008 - edição 8137 (Campo e Lavoura):

Peixe vira salame e pode agregar valor

Opção saudável ao consumidor

Uma opção mais saudável e com menos gordura é a novidade apresentada pelo curso de Química Industrial de Alimentos da Universidade do Contestado (UnC), de Caçador. Depois de um semestre de testes e experimentos, o salame de peixe está pronto para sair do laboratório para ganhar as pequenas propriedades da região.

O gosto suave da carne de peixe se torna mais encorpado com os temperos naturais. Além de salsinha, cebolinha, alho, coentro e urucum - um corante natural - o salame recebe pimenta, que proporciona um toque mais picante.

O processo para fazer o salame de peixe é praticamente o mesmo do produto tradicional, feito com carne suína. Depois de retiradas escamas, víceras e a cabeça, o peixe é triturado.

A partir daí é feita uma massa, que misturada com os temperos fica pronta para ser envolvida pela tripa de bovino, que dá o formato e reveste a massa, como é feito com o salame tradicional.

No laboratório os alunos adaptaram uma churrasqueira que serve como defumador. Os salames são curtidos com a fumaça do fogo feito de maravalha de árvores frutíferas, o que agrega um sabor especial ao produto. Segundo o professor da disciplina de Tecnologia do Pescado e coordenador do curso, Ilce Picoli, o salame pode ser feito de vários tipos de peixe, como carpa, tilápia e merluza. Dos testados no laboratório, o que mais agradou o paladar dos alunos foi a tilápia, peixe produzido na região de Caçador.

Como não utiliza nenhum equipamento ou ingrediente especial, o salame pode ser feito por qualquer produtor que disponha da matéria-prima e que já produza o salame de suíno. Por esse motivo, a partir de agora sua produção será foco de um projeto de Extensão Universitária.


(de http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a2057862.xml&template=3898.dwt&edition=10312&section=129)

Um comentário:

Carlile disse...

Boa Tarde! Sou uma das acadêmicas do Curso de Química Industrial de Alimentos da UnC-Cdr e gostaria de agradecer em nome da turma pela publicação em seu blog, fiquei muito feliz em pesquisar sobre o salame na internet e achar aqui no seu espaço.
Obrigada,
Carlile